quinta-feira, 3 de julho de 2014

Governo Federal lança segunda etapa do programa CsF

Entre milhares de ex-bolsistas espalhados pelo país, a Capes selecionou apenas 40 para representarem os participantes do programa na cerimônia, dentre os quais 4 alunos da UFPA e 1 aluna da UNIFESSPA.


Na ocasião, os ex-bolsistas tiveram a oportunidade de realizar um debate na sede da Capes junto aos respectivos coordenadores do programa para apresentar alguns projetos desenvolvidos após a realização do intercâmbio. Um dos projetos divulgados foi o BiotecBrasil, elaborado pelo aluno Alberto M. dos Santos, concluinte do curso de biotecnologia na UFPA.


• Ana Rosa R. de Lima
• Alberto M. dos Santos
• Gustavo Hugo R. Tavares
• Pedro Marinho
• Társis Sousa


Reportagem no completa no site


Alunos da UFPA vão à cerimônia do CsF com a presidente Dilma Roussef

O Programa Ciência sem Fronteiras (PCsF) existe desde 2011 e entra em sua segunda fase neste ano de 2014. A cerimônia de abertura da nova etapa ocorreu em Brasília, com pronunciamento da presidenta Dilma Roussef, no Palácio do Planalto. O evento contou com a participação dos ministros da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, além de 40 ex-bolsistas. Entre os mais de 80 mil alunos beneficiados pelo programa e convocados a participar, quatro foram da Universidade Federal do Pará (UFPA) e uma aluna da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Os estudantes foram convidados a participar de uma conferência de avaliação, na qual cada um expôs suas experiências individuais e contribuíram com sugestões a respeito do acolhimento aos “intercambistas” regressos do exterior. A seleção dos alunos foi feita por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que julgou os melhores rendimentos, relatórios de atividades no exterior e desempenho no curso. O programa procura estimular nos estudantes o gosto pela inovação. É dessa forma que os participantes contribuem com o desenvolvimento do patrimônio científico e tecnológico do País.

“O maior aprendizado que levo do Ciência sem Fronteiras seria que sonhos podem, sim, se tornar realidade. Mais do que uma chance de aperfeiçoar o conhecimento, o Programa Ciência sem Fronteiras é uma ferramenta de mudança de futuro. O CsF abriu inúmeras portas pra mim e expandiu meus horizontes: antes, minha visão na Biologia era muito restrita; hoje, sei que posso mais dentro da minha área de atuação e tenho potencial para tanto”, pontua o aluno do sétimo período do curso de Ciências Biológicas da UFPA, Pedro Carneiro Marinho, um dos selecionados para participar do encontro.


Honra - “Fiquei muito feliz de estar entre os poucos selecionados, pois encontraria na oportunidade uma chance de conhecer o que vem sendo feito com os bolsistas após o retorno ao Brasil, além, é claro, de uma chance de dialogar com os próprios representantes da Capes e CNPq sobre sugestões para aperfeiçoar o programa. Foi muito surreal a experiência”, conta Pedro.

Para a estudante de Engenharia de Materiais da Unifesspa (antigo Campus de Marabá da UFPA), Ana Rosa Rabelo de Lima, que também participou do debate na sede da Capes, foi uma grande honra ter sido escolhida para participar desse grupo seleto representando a instituição paraense. “Maior ainda foi o prazer de conversar com os demais estudantes, que demonstram grande interesse em participar ativamente da construção de uma melhor sociedade dentro do nosso país. Foi uma sensação de grande força para questionar e mudar a nossa realidade, além de uma boa dose de energia para buscarmos realizar os nossos planos”, disse.

“Foi uma grande oportunidade de interagir mais com estudantes que também participaram do programa. Tivemos a oportunidade de trocar experiência com ex-CsF, com os coordenadores do programa, com o presidente da Capes e até chegamos a conhecer as pessoas que respondiam nossos e-mails e nos ajudaram durante todo o programa. Agradecer a todos eles foi bem emocionante. No fim, ainda tivemos a oportunidade de presenciar o lançamento da segunda etapa do programa e de conhecer pessoalmente a presidenta do nosso país. Eu tive a sorte de tirar a melhor “selfie” do dia com a Dilma”, conta o ex-bolsista Alberto Monteiro. 

Resultados - Na ocasião, houve apresentações de projetos desenvolvidos por estudantes de todo o país e seus respectivos coordenadores, após a realização do intercâmbio. E pela UFPA, foi o Projeto BiotecBrasil, idealizado por dois ex-bolsistas do programa,. Alberto Monteiro e Amarílis Aragão, que ganhou destaque. Os recém-graduados pela primeira turma de bacharéis em Biotecnologia da Universidade mostraram que é possível, com o auxílio da tecnologia e da criatividade, atingir pessoas do Brasil e do mundo, e divulgar a ciência e a tecnologia apresentando conteúdos com traduções para o inglês.

O principal objetivo do BiotecBrasil é difundir a biotecnologia e as suas aplicações no cotidiano e torná-la mais visível à sociedade; além, também, de funcionar como um veículo de comunicação entre a comunidade acadêmica, o setor empresarial e a população brasileira em geral. O canal de divulgação e o funcionamento do projeto utilizado pelos estudantes, inicialmente, estão sendo o YouTube BiotecBrasil , no qual são postados vídeos semanais. Além disso, existe a página no Facebook do projeto.

Intercâmbio x Mercado de Trabalho



Leia o restante da entrevista aqui

Web_Cams_Travel